Acne

Acne medicamentosa: conheça as suas causas e tratamento

As espinhas estão entre as maiores reclamações das pessoas que gostam de cuidar da pele, independente da idade. Os pontos vermelhos incomodam e, quanto mais se mexe e tenta removê-los, mais eles inflamam e ficam expostos na pele, seja do rosto, das costas, peito ou pescoço.

Como as acnes afetam diretamente a aparência da pele, é muito comum que muitas pessoas “cutuquem” as acnes com frequência, o que não resolve o problema e ainda acaba causando manchas e cicatrizes permanentes na derma. Essa atitude equivocada acontece pelo fato de poucas delas entenderem quais são as razões para o aparecimento do problema.

As acnes surgem por conta do acúmulo de oleosidade na pele, que acaba entupindo os poros (folículos pilosos) e, quando em contato com bactérias que ficam no ar, acabam inflamando e se transformando nos pontinhos vermelhos e doloridos que conhecemos como espinhas. Esse aumento da produção de óleo é provocado pelo excesso de trabalho das glândulas sebáceas, estimulado pelo excesso de estresse, má alimentação, falta de higiene e, na maioria dos casos, por alterações hormonais.

Apesar de mais comuns na adolescência, como o nosso corpo está sempre em constantes mudanças, também não é de se estranhar que as espinhas apareçam fase adulta, já que as mudanças hormonais nunca param. E por falar em acnes adultas, se você tem mais de 25 anos de idade e começou a sofrer com o problema recentemente, saiba que nem sempre elas podem estar ligadas às alterações no organismo.

Já parou para pensar que talvez as suas acnes tenham aparecido pelo uso contínuo de alguns medicamentos? É isso mesmo! Pode até parecer algo impossível de acontecer, mas as espinhas podem sim aparecer como efeitos colaterais da ingestão de determinados remédios. É a chamada acne medicamentosa, que é o assunto do nosso artigo de hoje.

Quer saber mais sobre ela e como esse tipo de espinha pode aparecer na sua pele? Então, continue lendo esse post até o final e conheça tudo sobre o assunto. Vamos lá?

O que é a acne medicamentosa?

acne-medicamentosa-remedios

A acne medicamentosa (ou acne induzida por drogas, como também é conhecida), como o próprio nome já diz, é um problema na pele causado pelos efeitos colaterais de alguns tipos de medicamentos. Geralmente, elas aparecem em forma de erupções acneiformes (com comedões, pápulas pustulosas, cistos ou nódulos) com lesões no rosto, tronco, pescoço e membros.

Os medicamentos de uso contínuo que mais provocam esse tipo de espinha estão ligados à ingestão de hormônios sintéticos, que, da mesma forma que os hormônios naturais do nosso corpo, tendem a aumentar a oleosidade na pele e provocar os demais tipos de acnes. A seguir, você vai conhecer quais são os principais deles.

Principais remédios que causam acne medicamentosa

Portrait of a young woman holding birth control pills

Como falamos anteriormente, os remédios de uso contínuo que podem provocar o desenvolvimento da acne medicamentosa são formulados a partir de hormônios sintéticos, que são capazes de provocar alterações no corpo e causar o aumento do sebo natural (óleo) na pele. Veja quais são os principais deles:

  • Anticoncepcionais;
  • Corticoides;
  • Halógenos;
  • Trimetadiona;
  • Lítio;
  • Anticonvulsivos (Dilantin/Phenytoin);
  • Esteroides anabolizantes (Danazol/Stanozolol);
  • Barbitúricos (sedativos hipnóticos e indutores de sono);
  • Esteroides sistêmicos (usados para substituir ou complementar o cortisol do organismo, dentre eles o Dexametasona, Betametasona, Hidrocortisona, Metilprednisolona, Prednisona, Triamcinolona e Prednisolona);
  • Dehidroepiandrosterona (DHEA), que é anti-envelhecimento;
  • Imunossupressores (Imuran/Azatioprina);
  • Medicamentos para sobriedade (anti-alcoolismo, como Antabuse/Disulfuram);
  • Medicamentos para tireoide (Thiouracil e Tioureia);
  • Isoniazida;
  • Etionamida;
  • Rifampicina;
  • Ciclosporina;
  • Dosagens fortes de vitaminas B12, B6, B1 e D2.

Tratamento

A acne medicamentosa costuma ser tratada da mesma maneira que os demais tipos, ou seja, a partir de antibióticos e retinoicos, sejam estes de via oral ou tópica. No entanto, há um cuidado especial que deve ser tomado neste caso, que é a suspensão do uso do medicamento que provocou o problema.

Neste caso, será necessária uma consulta médica para saber quais são os remédios que você pode ingerir para substituí-lo e controlar o aparecimento da acne. Além disso, será preciso lavar a região da pele afetada com sabonetes e loções específicas para tratar espinhas.

E não se esqueça! Os remédios para curar espinhas não são vendidos sem receita médica, uma vez que são muito fortes e podem causar efeitos colaterais indesejados. Por isso, nada de se auto-medicar. Consulte o seu médico dermatologista para fazer uma avaliação e acompanhar o caso.

Deixe um Comentário

/* ]]> */