Celulite

Celulite tem cura? Conheça as melhores formas de combater os furinhos na pele

Celulite tem cura

Há controvérsias sobre o tema. Alguns dizem que sim, celulite tem cura; outros afirmam que não, que o problema tem apenas controle. O post de hoje pretende tentar entender melhor o assunto, para que você possa tirar melhor proveito dos tratamentos.

A turma que fala da cura da celulite jura de pé junto que ela é real, porém, não é um milagre. Ou seja, as ondulações, depressões e furinhos na pele podem voltar a qualquer momento. E que isso é baseado em pesquisas médicas.

Em outras palavras, é bom não se animar muito esperando a eternidade da cura da celulite. O que não significa que o resultado momentâneo não possa ser ótimo… O segredo parece ser manter o foco na realidade, e viver o presente!

Então, o que seria indicado para promover a tal cura do problema essencialmente estético que aflige a maioria das mulheres (e alguns homens também)? Estudos revelam que é a drenagem linfática um dos principais recursos por trás da solução ‘definitiva’ para a celulite.

O método ajuda a diminuir a retenção de líquidos e promove a desintoxicação. Por isso, seria o melhor para dar adeus ao aspecto “casca de laranja” que deixa a autoestima feminina abalada.

A drenagem linfática é uma espécie de massagem suave que auxilia de forma significativa na eliminação da celulite. No entanto, é importante lembrar que o procedimento só deve ser feito por profissionais devidamente habilitados, ok?

A técnica de drenar a linfa e descongestionar o corpo é somente uma parte do processo para tentar dar fim aos furinhos que tanto atrapalham até na hora de colocar uma roupa.

É preciso manter uma rotina de bons hábitos alimentares, exercícios aeróbicos para queimar gordura e ativar a circulação, além de atividades com poder tonificante, como a musculação.

Portanto, a combinação perfeita mesmo para provar que celulite tem cura seria: massagem, exercícios físicos constantes e boa alimentação. Resolvendo esta equação, você poderia confirmar ou não a cura do problema.

Outros tratamentos podem reforçar o arsenal da beleza. Por exemplo: corrente russa, manthus, carboxiterapia, massagens modeladoras, endermologia (com aparelho a vácuo) etc.

Você pode ainda turbinar os cuidados com as famosas cápsulas para redução de retenção hídrica.

Conheça outros tratamentos capazes de atenuar a condição de modo que ela fique praticamente imperceptível. São procedimentos para ‘acabar’ com a celulite:

  • Cirurgia de subscisão
  • Cremes anticelulite, principalmente contendo centelha asiática e/ou sellenium
  • Eletrolipólise
  • Laser associado à massagem (aparelho Triactive®, por exemplo)
  • Lipoescultura ultrassônica
  • Radiofrequência (unipolar, bipolar ou tripolar)
  • Ultrassom – aparelhos Ultrashape® e Liposonix®, entre outros
  • Uso de laser de Nd-Yag

Todos estes tratamentos contam com respaldo científico e podem ser feitos em clínicas de estética.

Quanto aos resultados, eles geralmente começam a surgir depois da segunda semana de tratamentos contra celulite, porém, isso depende muito da gravidade do problema. Existem vários graus dele – o que, por sua vez, vai influenciar o tempo e a duração de cada procedimento.

Celulite tem cura? Pode ser que sim, mas prevenir é sempre melhor (mais fácil e mais econômico) que remediar, concorda? E para quem já apresenta celulite, é possível evitar que a situação piore…

Beber muita água estimula o funcionamento dos rins e facilita o trabalho do nosso sistema linfático. Evitar o excesso de sal também ajuda, assim como fugir o máximo possível de doces, gorduras, refrigerantes, enfim, de tudo o que possa sobrecarregar o organismo com toxinas.

Convém ainda não exagerar no café e nos carboidratos e evitar produtos alimentícios enlatados, que possuem muitos conservantes.

A disciplina, portanto, é um fator importante para chegar à conclusão se a celulite tem ou não fim. A dedicação a longo prazo influencia o processo muitas vezes difícil. Mas espero que as dicas de hoje possam ajudar!

Até o próximo post!

Leave a Comment

/* ]]> */