Manchas de Pele

Cloasmas: conheça suas causas, sintomas e tratamentos

Cloasmas

As manchas de pele são um problema que incomodam e trazem desconforto estético para as mulheres. Se estas marcas forem escuras e grandes, pior ainda!

Denominadas cloasmas, essas manchas grandes e escuras estão relacionadas a fatores genéticos, hormonais e de exposição solar e acometem cerca de 70% das mulheres grávidas e 30% das que fazem uso de pílulas anticoncepcionais.

Se você possui essas manchas no rosto, leia este post e saiba o que são os cloasmas, assim como suas causas e possíveis tratamentos.

O que são os cloasmas

Cloasma mancha

Também chamado de melasma, o cloasma é uma manifestação cutânea caracterizada por manchas escuras acastanhadas no rosto.

É um problema que atinge principalmente mulheres, mas também pode acometer homens, e é mais comum em pessoas que possuem pele morena e negra.

Podem ser de três tipos, de acordo com a profundidade da hiperpigmentação na pele:

  • Epidérmico: hiperpigmentação está nas camadas mais superficiais da pele e por isso esse tipo de cloasma responde melhor aos tratamentos;
  • Dérmico: hiperpigmentação nas camadas mais profundas da pele, tornando esse tipo de cloasma mais difícil de tratar;
  • Misto: mescla os dois tipos de cloasmas, epidérmico e dérmico.

Causas e fatores desencadeantes

O surgimento dos cloasmas está relacionado principalmente a fatores genéticos e hormonais e tem a exposição solar como fator desencadeante.

A pré-disposição genética somada à exposição solar excessiva, contínua e sem proteção favorecem muito o aparecimento dessas manchas.

Além disso, é comum que o seu aparecimento ocorra em situações de alteração hormonal, como gravidez, uso de alguns anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal pós-menopausa e distúrbios de tiroide.

Cloasma gravídico

Cloasma gravídico é o nome que se dá aos cloasmas que surgem durante a gestação.

As manchas surgidas nesta fase podem atingir não só o rosto, mas também causar um aumento na pigmentação dos mamilos, aréolas mamárias e na parte interna das coxas e axilas.

A boa notícia é que as manchas decorrentes da gestação tendem a melhorar gradativamente e muitas vezes, desaparecem após a gravidez, sem precisar de nenhum tratamento.

Sintomas e manifestação clínica

O principal sintoma do cloasma é o surgimento de manchas castanhas na face, principalmente na testa, maçãs do rosto, nariz, têmporas e lábio superior.

As manchas geralmente têm limites precisos e são irregulares, formando placas que, em seu contorno, apresentam pontilhado pigmentar.

Além disso, os cloasmas costumam ser simétricos, ou seja, iguais nos dois lados do rosto.

Tratamentos para cloasmas

Os cloasmas não tem cura, mas atualmente existem diversos tratamentos que podem suavizar a aparência dessas manchas.

A maioria dos tratamentos consiste no uso de substâncias clareadoras em um processo lento e gradativo. Os ativos mais comuns costumam ser a hidroquinona, ácido retinóico e azelaico, utilizados em cremes, pomadas ou loções. Geralmente, trazem resultados muito satisfatórios que aparecem com cerca de dois meses de tratamento.

No entanto, essas substâncias são irritantes e por isso, só devem ser utilizadas com a indicação e acompanhamento de um dermatologista, caso contrário, pode trazer danos para a pele e piorar o cloasma. Além disso, não devem ser usados por gestantes e lactantes.

Os peelings químicos também são uma opção, já que eles clareiam a pele de forma gradual e, geralmente, mais rápido do que os cremes. Também existe a possibilidade de usar laser ou outras formas de energia luminosa para ajudar no processo. Mas em ambos os casos, é necessário ter cuidado na aplicação do procedimento, pois se ele não for o mais recomendado ou não for aplicado corretamente, pode gerar ainda mais manchas na pele do paciente.

Prevenção e cuidados

Apesar de estar relacionado à genética e alterações hormonais, o risco de surgimento dos cloasmas pode ser diminuído com alguns cuidados.

Em primeiro lugar, sempre utilize protetor solar com fator de proteção 30 ou mais e evite exposição excessiva ao sol, afinal, ele é o maior fator desencadeante do problema.

Mulheres que possuem casos de cloasmas na família, ou seja, tem predisposição genética, devem evitar o uso de anticoncepcionais, optando por outras formas de proteção, como o DIU e outros métodos de barreira, já que o uso desses medicamentos também aumenta a propensão aos cloasmas.

Por fim, caso você se depare com o aparecimento dessas manchas no rosto, procure um dermatologista. Quanto mais cedo tratar o problema melhor. Além disso, a pele com cloasmas necessita de mais proteção e cuidados que somente um bom dermatologista poderá indicar.

Você sofre com os cloasmas? Já tentou algum tratamento? Compartilhe as suas experiências nos comentários!

Leave a Comment

/* ]]> */