Estrias

Estrias na gravidez é normal? É possível evitar?

Estrias na gravidez

O aparecimento de estrias na gravidez, de nome técnico – Striae gravidarium – é um acontecimento normal e bastante comum, visto que afeta de 70 a 90% das gestantes.

O surgimento dessas lesões é bastante incômodo para as mulheres, principalmente porque suas cicatrizes são permanentes e ficarão no corpo mesmo depois da gestação.

Veja também – Vacuoterapia para estrias e celulites: saiba tudo sobre este tratamento

Mas o que fazer para evitar essas marcas? É possível prevenir? Neste post, vamos explicar o que são as estrias, porque elas aparecem na gestação, suas características, possíveis formas de prevenção e tratamento. Confira!

O que são estrias?

As estrias são cicatrizes ocasionadas pelo rompimento de fibras elásticas e de colágeno, causadas pelo estiramento excessivo e rápido da pele.

A nossa pele possui uma elasticidade natural que a torna capaz de esticar conforme o nosso corpo cresce ou engorda. Mas essa flexibilidade tem um limite. Se o estiramento da pele ocorrer de forma muito rápida – em questão de semanas, como na gravidez – a pele não consegue suportar esse ritmo de expansão, rompendo suas fibras elásticas.

Com o rompimento das fibras, o sangue inunda a região, formando cicatrizes inicialmente avermelhadas – as estrias vermelhas – que com o tempo se tornam mais claras originando as estrias brancas.

Fatores de risco para o surgimento de estrias na gravidez

O rápido crescimento da região abdominal, sobretudo no terceiro trimestre da gestação é a principal causa para o aparecimento das estrias na gravidez, entretanto, existem outros fatores de risco que influenciam o surgimento dessas lesões:

  • Alterações hormonais da gestação: alguns hormônios naturais da gravidez como o estrogênio, cortisol e relaxinas tornam as fibras elásticas mais fracas e suscetíveis ao rompimento quando sujeitas à grandes distensões;
  • Pré-disposição genética: mulheres que apresentam histórico familiar de estrias na gravidez apresentam um risco maior de desenvolver essas lesões de forma moderada a grave;
  • Idade da gestante: quanto mais jovem a mulher for, maior o risco de desenvolver estrias na gravidez. Isso acontece porque a pele das mulheres mais novas (até 25 anos) é mais firme e tem maior facilidade de rompimento das fibras elásticas. As mulheres acima de 30-35 anos têm um risco bem mais baixo de desenvolver essas lesões;
  • Primeira gestação: o risco de surgimento de estrias é maior na primeira gestação do que nas subsequentes. Isso porque após a primeira gravidez, a pele já está mais flácida e apta a se distender novamente;
  • Tamanho do feto: quanto maior e mais pesado o feto, maior será a distensão abdominal e o estiramento da pele, propiciando o aparecimento de estrias. Uma gestação de gêmeos também facilita o surgimento dessas lesões, pelo mesmo motivo;
  • Etnia da gestante: mulheres de etnia não caucasiana apresentam um risco maior de desenvolver estrias na gravidez;
  • Existência de estrias antes da gravidez: mulheres que mesmo antes de engravidar já sofrem com o problema, principalmente na região da barriga e seios, tem uma propensão maior a apresentar Striae gravidarium.

Características das estrias na gravidez

As estrias costumam aparecer a partir do sexto mês de gestação e inicialmente, possuem uma coloração rosa, podem coçar e a pele ao seu redor pode parecer mais fina.

Gradualmente, elas vão crescendo em comprimento e largura e adquirindo uma coloração vermelha ou arroxeada. Nos primeiros meses após a gravidez, as estrias vão perdendo a cor, tornando-se pálidas e esbranquiçadas. Elas também podem ter um aspecto deprimido e irregular.

Veja também – Tomar sol ameniza as estrias? Mito ou verdade?

Na gravidez, as estrias costumam surgir em regiões de intensa expansão, como a região abdominal e seios, mas também podem surgir em outras regiões, como nádegas, nos quadris, região lombar e até nos braços.

É possível evitar as estrias na gravidez?

A prevenção de estrias na gravidez não é fácil, principalmente porque não é possível controlar o principal fator de risco: a expansão abdominal rápida e intensa.

Entretanto, alguns bons hábitos podem evitar a intensificação do problema:

  • Controle do peso: é a principal forma de evitar as estrias na gravidez, pois se, além da distensão causada pelo feto, a pele ainda sofrer estresse por ganho de gordura, o desenvolvimento de estrias será ainda maior. Portanto, vale a pena investir em uma dieta equilibrada e engordar somente o que é determinado para a sua gravidez.
  • Alimentos antioxidantes: falando em dieta, aposte em alimentos ricos em vitamina C e E, pois possuem substâncias antioxidantes que agem como estimulantes do colágeno na pele, contribuindo também para o combate às estrias;
  • Hidratação da pele: hidratar a pele com cremes e óleos ajuda a manter a elasticidade da pele, o que aparentemente reduziria o aparecimento das estrias. Claro que manter a pele hidratada é sempre benéfico, mas é importante salientar que até o momento, nenhum creme ou óleo apresentou resultados satisfatórios em estudos científicos, apesar do uso desses produtos serem amplamente divulgado;
  • Roupa íntima apropriada: optar sempre por roupas íntimas que segurem bem a barriga e suportem as mamas também é uma forma de prevenir o aparecimento de estrias, pois conferem mais sustentação à pele.

Se você não conseguir evitar o aparecimento das estrias na gravidez, existem formas de tratar o problema, no entanto, são procedimentos com laser e ácidos, e que só podem ser realizados após o período de gestação e amamentação.

O uso do ácido retinoico ou tretinoína, principalmente em fases iniciais, quando as estrias estão pequenas e rosáceas, apresenta bons resultados. Já o laser é muito efetivo, conseguindo amenizar inclusive as estrias brancas e mais antigas.

Veja também – Bio-Oil: saiba tudo sobre o óleo antiestrias preferido das celebridades!

As estrias na gravidez são praticamente inevitáveis para algumas mulheres, principalmente as mais jovens e com pré-disposição genética, e sem dúvidas é um incômodo estético. Mas se as estrias aparecerem durante a sua gestação, não deixe que elas estraguem esse momento tão importante da maternidade. Continue se cuidando e após o parto, busque um tratamento para amenizar essas lesões. Não deixe que esta questão estética estrague esse momento tão especial na sua vida.

Curtiu o nosso post sobre estrias na gravidez? Conhece alguém que está passando por isso? Compartilhe este artigo nas redes sociais!

Deixe um Comentário

/* ]]> */