Celulite

Radiofrequência para celulite: saiba tudo sobre este tratamento

Radiofrequência para celulites

A radiofrequência para celulite é um dos procedimentos mais procurados em clínicas estéticas para tratamento desses incômodos furinhos na pele, que atingem 85% das mulheres, inclusive as magras e em forma.

Essa alta procura se dá pela rapidez e qualidade dos resultados obtidos com esse tratamento, que é indolor, remove as celulites, elimina a gordura localizada e ainda combate a flacidez, deixando a pele mais firme, uniforme e com um aspecto saudável.

Quer saber mais? Neste post mostraremos como este tratamento funciona e por que ele pode ser a solução para o seu problema de celulite. Confira!

O que é radiofrequência

A radiofrequência é um tratamento estético que usa radiações eletromagnéticas para aquecer as camadas mais profundas da pele, onde a temperatura pode chegar a 42º C, e assim queimar a gordura e estimular a produção de novas fibras de colágeno.

O procedimento é realizado através de um equipamento com uma ponteira que emite ondas de 40 mil volts sobre a pele.

Atualmente, existem três tipos de radiofrequência, de acordo com a forma que a corrente elétrica é emitida:

  • Monopolar: a corrente elétrica é emitida através de um eletrodo aplicado na área de tratamento e retorna ao gerador através de um eletrodo de dimensões maiores localizado à distância. Pode alcançar a profundidade de até 6 mm na pele;
  • Bipolar: os eletrodos de saída e o de retorno estão localizados na própria ponteira, gerando um efeito mais superficial, com alcance de aproximadamente 2 mm;
  • Tripolar: utiliza três eletrodos na mesma ponteira e a profundidade da penetração da energia é, aproximadamente, a distância média entre os eletrodos.

São exemplos de aparelhos estéticos de radiofrequência o Spectra e o Vanquish.

Atuação da radiofrequência no combate à celulite

No tratamento da celulite, a radiofrequência atua diretamente na inflamação das células do tecido adiposo, queimando as moléculas de gordura.

Com a redução da gordura localizada – um dos pilares da formação da celulite – e o estímulo da produção de novas fibras de colágeno, ocorre uma melhora no quadro, deixando a pele mais lisa e livre do aspecto “casca de laranja”.

Em adição, em técnicas de radiofrequência em que o vácuo está associado, o método funciona também como uma drenagem linfática, contribuindo para a redução e eliminação de toxinas nos tecidos subcutâneos.

Como é feita a sessão de radiofrequência para celulite

A sessão de radiofrequência para celulite é rápida, não invasiva, simples e indolor.

O procedimento começa com a higienização da pele com água e sabonete neutro ou um óleo de limpeza. Na sequência, aplica-se vaselina ou outro óleo condutor na área a ser tratada, as ponteiras do aparelho são posicionadas sobre a pele e inicia-se os disparos das ondas de radiofrequência.

Com isso, eleva-se a temperatura das camadas da pele e do tecido subcutâneo até 39°C a 42°C e mantem-se essa temperatura por aproximadamente 14 minutos. As ponteiras devem deslizar o tempo todo sobre toda a área a ser tratada, a fim de distribuir bem o calor por toda a pele. Durante o tratamento, a temperatura da pele é medida diversas vezes para garantir que ela chegue – e também não ultrapasse – a temperatura correta.

Para finalizar a sessão, o óleo condutor é removido.

Reações e cuidados pós-procedimento

Logo após uma sessão de radiofrequência para celulite a pele pode apresentar vermelhidão, inchaço, vergões salientes que provocam coceira e marcas arroxeadas, mas todos esses efeitos colaterais são transitórios e melhoram naturalmente com o tempo.

Não existem cuidados específicos no pós-procedimento, mas é recomendável evitar a exposição ao sol e usar protetor solar todos os dias.

O uso de cosméticos é liberado após uma hora do procedimento.

Riscos envolvidos no procedimento

Como todo procedimento estético, a radiofrequência para celulite apresenta alguns riscos.

Neste tratamento, o principal risco é a possibilidade de queimaduras na pele ocasionadas pelo mau uso do equipamento. Como a radiofrequência eleva a temperatura da pele, o esteticista deverá observar constantemente se a temperatura do local em tratamento não ultrapassa os 42ºC, caso contrário, poderá causar sérias queimaduras.

Por isso, ao optar pelo tratamento, é fundamental escolher um clínica conceituada e com profissionais capacitados para manipular o equipamento de radiofrequência e aplicar a técnica de forma adequada.

Contraindicações da radiofrequência

Apesar de ser um tratamento indolor e seguro, a radiofrequência é contraindicada em alguns casos:

  • Pessoas que estejam com febre;
  • Feridas ou doenças de pele na área a ser tratada;
  • Pessoas com tumores malignos ativos ou recentes, ou que realizaram ou ainda se submetem a sessões de quimioterapia;
  • Hipertensos;
  • Diabéticos;
  • Portadores de doenças da tireóide;
  • Portadores do vírus HIV;
  • Pessoas que apresentam coagulopatias, sangramento excessivo ou hematomas;
  • Pessoas com histórico de trombose profunda;
  • Pessoas com histórico de doenças estimuladas pelo calor, como a herpes, por exemplo, no local a ser tratado;
  • Pessoas que utilizam marca-passo, desfibrilador, ou qualquer implante eletrônico ou metálico;
  • Pessoas que façam uso de medicamentos como anticoagulantes e corticoides de modo contínuo;
  • Pessoas que usaram isotretinoína nos últimos seis meses;
  • Mulheres que utilizam DIU;
  • Gestantes e mulheres em fase de amamentação.

Resultados da radiofrequência para celulite

Os resultados são rápidos e progressivos e começam a aparecer a partir da terceira sessão, quando já é possível observar a redução das celulites e uma pele com um aspecto mais firme, liso e saudável.

A quantidade de sessões necessárias depende de diversos fatores, como idade, local de aplicação, grau das celulites e objetivos de cada paciente. Mas para se obter resultados mais duradouros e consistentes, recomenda-se no mínimo dez sessões com intervalos de 15 dias.

Além disso, para manutenção dos resultados obtidos, devem ser realizadas novas sessões de radiofrequência anualmente.

Para quem quer ter resultados ainda mais efetivos, existem tratamentos que associam a radiofrequência com sistemas de vácuo e ultrassom, como os aparelhos Velasmooth, Reaction e Accent.

Os preços de uma sessão de radiofrequência para celulite variam muito, pois depende da extensão da área tratada e grau das lesões, mas é um tratamento bem dispendioso. No entanto, a radiofrequência é segura, indolor e apresenta menos riscos que outros tratamentos anticelulites. Além disso, seus resultados são rápidos, progressivos e duradouros. Portanto, se você tem condições financeiras de fazer o tratamento, aproveite, pois ele é uma das melhores alternativas no combate à incômoda celulite.

Você já conhecia os tratamentos com radiofrequência? Tem alguma experiência com este procedimento? Conta pra gente nos comentários!

Leave a Comment

/* ]]> */